Inadimplência: tudo o que você precisa para reduzir prejuízos

Inadimplência é o descumprimento de alguma obrigação financeira, quando o pagamento de alguma conta não é realizado na data do vencimento.

Toda inadimplência é uma dívida, mas nem toda dívida é uma inadimplência. Por exemplo: uma compra parcelada no cartão é uma dívida. Existem contas a serem pagas, mas que ainda não estão vencidas e, portanto, inadimplentes.

Assim como as pessoas, as empresas também podem ser inadimplentes, seja com fornecedores, órgãos federais ou mesmo pessoas (no caso do atraso de pagamento de salários, por exemplo).

Leia também: Controle a Inadimplência com uma Régua de Cobrança – Saiba como fazer.

Com o cenário pandêmico deste ano, o índice de inadimplência cresceu, mesmo com as iniciativas do Governo nacional para apoiar os cidadãos e as empresas. Assim, a economia sofre ainda mais, já que não há dinheiro circulando.

Para entender como você pode reduzir a inadimplência na sua empresa, continua sua leitura. Neste artigo, vamos abordar: 

  • O que é inadimplência financeira
  • O que acontece quando a pessoa fica inadimplente
  • Como cobrar os clientes inadimplentes
  • Como acabar com a inadimplência na sua empresa

Boa leitura!

O que é inadimplência financeira

Inadimplência é o ato não de pagar uma conta em sua data de vencimento.

Inadimplência financeira é quando uma pessoa ou empresa não cumpre suas obrigações, deixando de pagar uma conta em sua data de vencimento. 

É o caso do atraso de pagamento de cartão de crédito, financiamentos, empréstimos, e até mesmo de tributos fiscais ou taxa de condomínio.

Dessa forma, a inadimplência financeira não se resuma à dívida criada junto às instituições financeiras: ela pode ser, também, entre pessoas, associações, empresas privadas ou órgãos públicos. 

Mas, inadimplência é o mesmo que dívida ou que estar com o “nome sujo”? Não necessariamente.

Como dissemos no começo deste artigo, toda inadimplência é uma dívida, ou seja, um compromisso financeiro que não foi cumprido e ainda precisa ser pago. Porém, nem toda dívida é uma inadimplência. 

Um parcelamento de cartão ou um empréstimo é uma dívida: você tem contas a serem pagas no futuro, que ainda não estão vencidas em função da forma de pagamento escolhida (parcelado). 

Como não estão vencidas, não estão inadimplentes.

Já o “nome sujo” é uma consequência muito conhecida (e temida) da inadimplência. Mas você pode estar inadimplente e ainda não ter sido cadastrado nos órgãos de proteção ao crédito. Vamos entender melhor sobre isso a seguir.

O que acontece quando a pessoa fica inadimplente

A primeira consequência é, sem dúvida, o aumento da dívida. Quando você fica inadimplente, vê o valor da conta em atraso aumentar a cada dia, em função de juros e multas aplicados.

Dependendo da dívida, esses juros são altíssimos e podem acabar criando uma “bola de neve”. Em contrapartida, pela falta de pagamento, a pessoa terá dificuldades de conseguir empréstimos ou outros meios para sair desse buraco. 

E a bola de neve só aumenta… 

Outra consequência já mencionada é a inscrição do nome e CPF em órgãos de proteção ao crédito, como o Serasa. O famoso “nome sujo” impede que a pessoa consiga cartão de crédito, financiamentos ou mesmo comprar com o antigo “carnê” em loja.

Isso porque as empresas têm acesso ao banco de dados e podem consultar o score daquele cliente. Ou seja: mesmo que você não esteja com o nome sujo naquela data, se você tem histórico de devedor, seu score será baixo.

E isso servirá de alerta para que empresas neguem seu pedido, já que elas entenderão que você é um cliente com potencial de inadimplência. 

Como cobrar os clientes inadimplentes

Cuidados na hora de cobrar clientes inadimplentes são essenciais para manter o posicionamento da marca.

Como gestor de uma empresa, você tem duas grandes responsabilidades ao falarmos de inadimplência. A primeira é, claro, tentar evitar ao máximo situações de contas em atraso, de forma a não prejudicar o seu fluxo de caixa e seu próprio potencial de pagamento. 

A outra é a cobrança. Cobrar um cliente inadimplente é a tarefa mais chata e sensível de todas, especialmente quando vivemos um cenário tão desafiador como este, de pandemia.

Isso porque é fácil entender o motivo pelo qual um cliente deixou de pagar sua dívida. Desemprego, prioridades com o orçamento para a manutenção básica de sua qualidade de vida, medo do futuro incerto… 

Além disso, o Código do Consumidor prevê algumas penalidades para empresas que perdem o bom senso na cobrança, e você pode acabar se tornando o verdadeiro vilão da história (perdendo, inclusive, mais dinheiro com isso!). 

Outro ponto importante é: aquele cliente inadimplente pode ser um bom cliente, afinal. Na hora de cobrar, cuidado para não queimar sua empresa, associando aspectos negativos à sua marca. 

O cliente inadimplente não é inimigo (e o cobrador também não!)

Sendo assim, é fundamental que a cobrança se estabeleça com uma comunicação simples, direta, porém empática e respeitosa. O objetivo final é conseguir o pagamento, não comprar uma briga, certo? 

Além disso, como falamos, o cliente pode estar passando por um momento pontual de dificuldade, mas ser um bom pagador na maior parte das vezes. 

Vale a pena ouvi-lo com atenção e buscar a melhor saída, tanto para que o pagamento aconteça quanto para evitar que a mesma situação se repita no futuro.

Tenha um canal de comunicação disponível para o cliente

Às vezes o cliente atrasa uma conta com estar passando por um período complicado, ou mesmo porque enfrentou dificuldade de cobrar seus próprios clientes. 

Pense em um profissional autônomo que também depende dos pagamentos de clientes para poder cumprir suas próprias obrigações.

Uma vez que a situação se estabilize, é bom que o cliente tenha opções de contato com a empresa para acertar a quitação da dívida, ou mesmo propor uma negociação de pagamento que fique bom para ambos os lados. 

Um canal de comunicação para negociações de dívida, seja por formulário, chat ou a forma que for mais eficaz para o seu modelo de negócio, é uma boa ideia.

Preste atenção nas práticas abusivas, conforme o Código de Defesa do Consumidor

Prefere cobrar seu cliente por telefone? Perfeito! É um canal válido e útil, mas é fundamental que você esteja atento ao que determina o Código de Defesa do Consumidor referente a práticas abusivas.

Quem nunca recebeu telefonema de cobrança às 22h da noite? Apesar de comum, é passível de pena (multa e detenção de 3 meses a 1 ano!), já que é uma infração. 

Os principais pontos que merecem cuidado são: 

  • Cobranças sempre devem ser realizadas em horário comercial;
  • Não se deve deixar recados com familiares ou vizinhos. Expôr a dívida a terceiro é infração gravíssima;
  • Não ligue para o trabalho do cliente. Os contatos devem ser realizados através do telefone celular o residencial do inadimplente;
  • Não ligue excessivas vezes. Além de ser totalmente ineficaz, pode ser considerado abusivo; 
  • Não faça ameaças ou exponha o cliente a qualquer tipo de constrangimento, pois isso é considerado crime; 
  • No começo da ligação, sempre identifique-se e esclareça a natureza da dívida. 

Como acabar com a inadimplência na sua empresa

Contar com um sistema para automação e controle financeiro é uma forma de reduzir a inadimplência.

Com os clientes que já estão em inadimplência, você sabe como reagir. Cobrar de forma respeitosa, oferecer meios de negociação e abrir um canal de comunicação que permita o próprio cliente entrar em contato para acertar sua dívida são alguns exemplos.

Mas e depois? O ideal é que você tome atitudes na sua empresa que evitam que situações de inadimplência se repitam todos os meses. Assim, você evita precisar formar uma equipe de cobradores e passar por esse frio na barriga a cada boleto não pago. 

Leia também: Como a organização dos dados e a gestão financeira impactam diretamente na redução de inadimplência?

Leia também:  Conheça as 7 vantagens da automatização de processos

Listamos, abaixo, 10 dicas de como reduzir a inadimplência na sua empresa. Confira:

#1 Automatize os pagamentos

Sistemas como o BomControle permitem uma visão gerencial ampla do time financeiro da empresa, que pode ter acesso a histórico de pagamentos dos clientes.

Além da emissão de boletos e da integração com outros módulos, o sistema oferece relatórios para a equipe controle os pagamentos em aberto, antecipando potenciais atrasos com lembretes amigáveis do vencimento da conta, por exemplo.

#2 Envie as cobranças próximo ao vencimento

Falando em lembretes, é sempre uma boa ideia ter uma régua de comunicação com os clientes, enviando os boletos próximo ao vencimento. Nem sempre o cliente atrasa o pagamento por dificuldade: às vezes, pode ser somente esquecimento.

#3 Pesquise antes de oferecer crédito ou condições de pagamento diferenciadas

Com o acesso ao histórico do cliente ou mesmo através dos sistemas de proteção de crédito, pesquise o perfil do seu cliente. 

Ele tem potencial para se tornar inadimplente? Então, venda somente à vista.

#4 Ofereça opções de parcelamento

Um dos motivos da inadimplência é o alto valor que deve ser pago uma única vez. Se você vende produtos com esta característica, tenha opções de pagamento parceladas, que possam dar uma folga para o bolso do seu cliente.

#5 Trace um perfil dos inadimplentes

Ter um sistema que permita registrar todas as informações dos clientes, como um CRM, é uma forma de gerenciar perfis que tendem a ser devedores. Não confie na sua memória. 

Além disso, com uma base de dados preenchida, você pode entender o tipo de perfil que costuma se tornar inadimplente, ou até os produtos ou serviços que mais sofrem com o não pagamento de suas vendas.

Com isso, é possível que o gestor compreenda os cenários e trace estratégias para reduzir ou eliminar potencial prejuízos. 

Leia também: Entenda como usar o CRM estratégico em benefício da sua empresa.

#6 Estimule os bons pagadores

Para reduzir a inadimplência não basta ter o olhar somente para os devedores. É preciso, também, reconhecer e estimular aqueles que pagam suas contas em dia.

Com isso, a pessoa, por mais que esteja em uma situação delicada, irá pensar duas vezes antes de deixar sua conta de lado. 

Algumas opções para estimular o pagamento em dia são: 

  • Ofereça descontos para pagamentos anteriores ao vencimento;
  • Crie um programa de fidelidade, com pontuações que podem ser revertidas em produtos ou outros benefícios;
  • Ofereça brindes ou prêmios;
  • Ofereça juros menores em caso ou mais possibilidades de pagamentos.

#7 Não deixe a dívida aumentar muito tempo

Parece óbvio, mas uma vez que uma conta está em atraso, você deve agir rápido. É fato que as pessoas tendem a pagar uma dívida se ela for cobrada logo em seguida ao vencimento. 

Se o tempo passar, a chance dessa conta ser quitada reduz bastante. Então, controle seu financeiro para observar as contas em atraso e contatar os seus clientes, com ofertas para pagamento, já no dia seguinte ao vencimento! 

Isso pode ser feito com um bom sistema financeiro. Conheça o BomControle e experimente grátis!

Leia também:  6 ações para manter a conciliação bancária em dia

#8 Tenha uma boa gestão de contratos

Outro ponto importante é ter um bom controle e gestão de contratos. Com isso, você gerencia melhor critérios de negociação, colocando em prática cláusulas que podem ser aplicáveis em caso de inadimplência, reduzindo suas perdas.

Leia também: Entenda a importância de manter uma boa gestão de contratos!

#9 Oriente sua equipe financeira e de cobrança

Como falamos, a equipe de cobrança precisa ser bem orientada, de forma a evitar penalizações. Além dissol, ela deve estar de acordo com o posicionamento e a cultura da empresa, para que a imagem da marca se mantenha mesmo nessas situações delicadas.

Já o time financeiro precisa ser responsável pelo controle das contas a receber, antecipando potenciais desafios e agindo rápido em caso de constatação de não pagamento. 

#10 Monitore sempre

Por fim, temos o monitoramento constante. Ainda que todas as ações sejam tomadas, você só será capaz de avaliar a efetividade das estratégias se tiver um sistema que permite controlar indicadores de desempenho e buscar a melhoria contínua.

Conclusão

Com um ERP completo você controla as contas a receber e antecipa riscos de inadimplência.

A inadimplência é, infelizmente, um problema que faz parte do dia a dia da maioria das empresas. Seja qual for o seu setor ou tamanho, em algum momento você terá que enfrentar clientes em atraso nos pagamentos. 

Mas é possível controlar para que os inadimplentes não impactem tanto no seu caixa e na sua operação, a ponto de tornar a empresa, também, uma devedora.

Para ter essa gestão financeira eficaz, um sistema que automatize processos e ofereça relatórios seguros é fundamental. Conheça o BomControle e seu módulo de Gestão Financeira completo! Experimente grátis. 

Para melhorar os resultados do seu negócio, confira, também, estes artigos que separamos: 

Obrigado por ler até aqui!

Envie ou compartilhe este artigo