Faturamento: aprenda a calcular, entender e fazer o seu crescer

Faturamento é um conceito básico que todo empreendedor deve conhecer antes de iniciar seu negócio, para saber formas de administrá-lo a fim de reduzir custos e, consequentemente, aumentar seus lucros.

Antes de abrir um negócio, é muito importante entender os conceitos sobre administração. Além disso, é fundamental saber analisar e utilizar esses dados da melhor maneira possível.

O conceito de faturamento é um conceito simples, mas de extrema importância para o seu negócio, principalmente para encontrar a saúde financeira da sua empresa.

Para muitos, a saúde financeira da empresa só está boa se ela dá lucro. De fato, isso é um sinal positivo, mas não podemos misturar lucro com faturamento. Cada um representa um conceito diferente, que se complementam.

Leia também: Planilha para controle financeiro é eficaz? 8 razões para sair do excel.

Sendo assim, este artigo tem como objetivo ajudar você a descomplicar e entender um pouco mais a fundo sobre o que é faturamento. Você irá aprender:

  • O que é faturamento
  • Para que serve o faturamento
  • Faturamento Bruto x Faturamento Líquido
  •  Diferença entre receita e faturamento
  • Diferença entre lucro e faturamento
  • Faturamento e regime tributário
  • Faturamento e porte da empresa
  • 5 dicas para aumentar o seu faturamento

Boa leitura!

O que é faturamento

Faturamento é o resultado da quantidade de produtos vendidos multiplicada pelo seu preço.

Faturamento é o termo usado para se referir à soma dos valores totais arrecadados por uma companhia ao vender seus produtos ou serviços.

Ou seja, cada produto que a empresa vende, multiplicados pelos valores de cada um deles, resultará no faturamento total.

Se você é empreendedor, precisa se acostumar com esse termo, pois é um importante indicador de sucesso do seu negócio.

Para visualizar de forma mais fácil, vamos imaginar que a empresa ABCD, no mês de outubro, vendeu 2.000 quantidades do produto X. O valor de cada produto X é de R$ 50. Assim, a empresa faturou um total de R$ 100 mil (R$ 50 x 2.000).

Uma ressalva importante: faturamento alto não necessariamente é sinônimo de lucros altos, pois ambos são conceitos diferentes.

Por exemplo, se o faturamento de uma empresa for muito alto, mas ao mesmo tempo ela tem custos, despesas e dívidas muito altas, isso acabará corroendo suas margens e diminuindo seus lucros, podendo, até, resultar em prejuízo.

Para que serve o faturamento

O faturamento é um indicador que serve para diversos fins e é muito importante para todo gestor.

Um dos seus objetivos é determinar a performance de vendas, pois através dele você entende se o preço cobrado está dentro da expectativa dos consumidores.

Outro uso é como base de cálculo para imposto, ou seja, dependendo do montante total faturado, a receita federal enquadrará a empresa de acordo com seu porte, podendo ser:

  • um microempreendedor individual (MEI);
  • empresa de pequeno porte (EPP);
  • e outros. Abordaremos mais sobre o assunto no decorrer deste artigo.

E, por fim, mas não menos importante, é o uso em análises fundamentalistas. É a partir dessas análises que você compreende o cenário da empresa como um todo.

Faturamento Bruto x Faturamento Líquido

Ao analisar um DRE, você pode se deparar com dois tipos de faturamento: o bruto e o líquido. Em ambos os casos, são utilizados para avaliar o desempenho da empresa.

Saiba quais as diferenças entre eles e como calculá-los:

Faturamento bruto, como calcular?

O faturamento bruto é o mesmo que você multiplicar a quantidade de produto vendido pelo preço do produto. Para melhor entendimento:

Faturamento Bruto = Quantidade de produto vendido x Preço do produto (R$)

A empresa ABCD vendeu, esse mês, 1.000 unidades de um produto a R$ 5. Sendo assim, seu faturamento foi de R$ 5 mil.

Vejamos um segundo exemplo: a empresa ABCD vendeu, esse mês, 500 unidades do produto X por R$ 20 e outras 500 unidades do produto Y por R$ 10. Sendo assim, o faturamento da empresa nesse mês será de R$ 15 mil (500 x R$ 20 + 500 x 10).

Faturamento líquido, como calcular?

O faturamento líquido é igual ao faturamento bruto menos as deduções de impostos e de vendas. Segue a fórmula abaixo:

Faturamento Líquido = Faturamento Bruto – Impostos – Deduções de vendas

Vamos para um exemplo prático. Pegando o mesmo exemplo da empresa ABCD que faturou R$ 15 mil. Supondo que a carga tributária da empresa seja de 10% e não tenha sido pago nenhuma comissão sobre as vendas, o faturamento líquido será de R$ 13.500,00.

Faturamento líquido= R$ 15.000 – (0,1×15000)

Leia também:  5 Dicas fundamentais para uma implantação de ERP

Faturamento líquido= R$ 13.500,00 reais.

Diferença entre Receita e Faturamento

Muitas pessoas confudem os dois termos. Apesar de significarem a mesma coisa, já que em ambos os casos indicam o quanto a empresa ganhou, na prática eles têm uma pequena diferença.

Faturamento é a previsão dos valores que entrarão no caixa. Ou seja, tudo o que você vendeu, será nomeado como faturamento, mas não necessariamente entrará direto para o caixa. É o caso de compras à prazo, por exemplo.

Já a receita é o que de fato entrou no caixa como pagamento do produto.

Imagine que você comprou, em Outubro, um produto com o valor de R$ 1 mil. Porém você não tem dinheiro para pagar esse valor à vista, optando pelo pagamento em quatro parcelas de R$ 250.

Partindo desse exemplo, em Outubro, a empresa terá como faturamento o valor de R$ 1 mil, e como receita, o valor de R$ 250.

É muito comum nas empresas ouvir a seguinte expressão: “Faturei, mas ainda não recebi”. E aqui é possível identificar a diferença entre os termos, pois faturamento é o valor que foi vendido, enquanto que receita é o quanto disso já foi recebido.

Leia também: O que é e como calcular a Receita Operacional.

Diferença entre Lucro e Faturamento

Como já falamos, o faturamento é a previsão do que entrará em caixa.

Já o lucro é o resultado positivo obtido após todas as deduções que devem ser feitas, e que são descontadas das receitas, incluindo os custos operacionais e administrativos. 

Como já foi falado no início do artigo, faturamento alto não quer dizer lucro alto, pois, para chegarmos no lucro, é necessário descontar os custos, despesas, impostos, entre outros.

Portanto, para aqueles que desejam ter um lucro alto, é necessário ter um faturamento alto, mas, acima de tudo… um custo baixo.

Despesas são os gastos relacionados com a atividade da empresa, mas não relacionados à fabricação do produto, como salários, aluguéis do escritório, juros, imposto de renda. 

Leia também: Custo e despesa: qual a diferença e como classificar os gastos empresariais

Já os custos, estão diretamente relacionados à produção ou fabricação do produto, como o custo da matéria prima e a mão de obra operacional.

Faturamento x Lucro bruto

Assim como o faturamento é dividido em bruto e líquido, o lucro também tem essas subdivisões.

O lucro bruto é a receita total menos os custos. De maneira sucinta, o lucro bruto considera os gastos de produção ou os gastos com a prestação de serviço.

Lucro Bruto = Receita total – Custo variável

Vamos para o exemplo prático. Levando em consideração o seguinte cenário para a empresa XYZ:

  • Quantidade produzida 5 mil unidades;
  • Preço do produto: R$ 5;
  • Custo por unidade produzida: R$ 1,50;
  • Imposto por unidade: R$ 0,50.

Temos: 

  • Receita total: R$ 25 mil;
  • Custo por produção: R$ 10 mil (5 mil x R$ 1,50 + 5 mil x R$ 0,50);
  • Lucro bruto: R$ 15 mil.

Porém, esse valor ainda não é o montante que poderá ser distribuído para os sócios (ou reinvestido na empresa). O lucro recebido pelos sócios é o lucro líquido.

Faturamento x Lucro Líquido

Finalmente, chegamos no conceito de lucro líquido. É este o valor que irá para o bolso do acionista ou empreendedor, caso a empresa queira distribuir e não reter para investimentos.

O lucro líquido parte da receita total e considera a dedução de todos os custos da empresa. Ou seja, após pagar todas as contas, o que sobra?

Lucro líquido= Receita total – Custos totais

Leia também:  Inadimplência: tudo o que você precisa para reduzir prejuízos

Usando o mesmo exemplo do lucro bruto, considerando que:

  • Receita total: R$ 25 mil;
  • Custo variável: R$ 10 mil;
  • Salário: R$ 3 mil;
  • Imposto fixo: R$ 2 mil;

Temos um lucro líquido de R$ 5 mil.

Com este exemplo, temos claramente a diferença entre faturamento, R$ 25 mil, e lucro, R$ 5 mil. Para esse exemplo, a margem líquida ficou muito boa, um valor de 20%.

Agora você deve estar se perguntando: e o prejuízo? 

A resposta é simples: se, por algum momento, os custos e despesas forem maiores do que o faturamento, você teria um prejuízo. Mas, quando falamos que faturamento é diferente de receita, o que queremos dizer?

Se o seu faturamento é suficiente para cobrir as contas, mas a sua receita não, você poderá ter prejuízos em vários meses para fechar com lucro ao final do ano. 

No entanto, essa situação desconfortável aponta um outro problema de gestão: a falta de fluxo de caixa e de capital de giro.

Leia também: Previsão orçamentária, 6 passos para você planejar seu financeiro!

Faturamento e Regime tributário

Como mencionado, o faturamento tem grande importância para cálculo da base tributária da empresa.

Mas, o que é regime tributário?

Regime tributário são tributos que a empresa precisa pagar para o governo de acordo com o seu faturamento.

Pode ser dividido em:

  • Simples Nacional: esse regime leva em consideração um faturamento de no máximo R$ 4,8 milhões por ano. Além disso, é um regime que, comparado aos outros, oferece a menor alíquota;
  • Lucro presumido: esse regime leva em consideração um faturamento menor que R$ 78 milhões por ano;
  • Lucro real: este regime é ideal para empresas com um faturamento maior que R$ 78 milhões. Além disso, a empresa paga o imposto e a contribuição social somente sobre a diferença da venda e os gastos operacionais (gastos de produção).

As alíquotas variam de regime para regime, porém, a menor é a que se enquadra no simples nacional, ficando entre 4% a 19% ao ano.

Faturamento e porte da empresa

Além de saber em que regime tributário a empresa se encontra, é necessário saber qual o porte dela, podendo se encaixar em:

  • Microempreendedor individual (MEI): está enquadrado nesse porte empresas com um faturamento de até R$ 81 mil ao ano. Para esse tipo de empresa, é possível a contratação de apenas um funcionário; 
  • Microempresa: empresas que faturam até R$ 360 mil ao ano. Para esse porte de companhia, é possível estar contratando até 20 funcionários;
  • Pequena empresa: empresas que faturam entre R$ 360 mil a R$ 4,8 milhões. Além disso, o número máximo de empregados que a empresa pode ter é de 100 pessoas;
  • Média empresa: companhias que estão com seu faturamento entre R$ 4,8 milhões e R$ 300 milhões;
  • Grande empresa: estão inseridas nesse porte empresas com um faturamento anual superior a R$ 300 milhões.

Para companhias acima de R$ 4,8 milhões de faturamento, como é o caso da média empresa e da grande empresa, não tem um limite preestabelecido de funcionários que a empresa pode contratar.

Além disso, caso a empresa ultrapasse o faturamento limite em que está enquadrada, ela é utomaticamente reclassificada, passando a adotar as novas medidas, regras e alíquotas.

5 dicas para aumentar o seu faturamento

Se você é daquelas pessoas que nunca está satisfeita e quer sempre buscar formas de fazer suas receitas crescerem, vão aqui algumas dicas! Como empreendedor, é claro que você quer ver o seu negócio crescer mais e mais. 

Leia também: 8 passos para aumentar o lucro da sua empresa

Leia também:  Crédito para pequena empresa: entenda as diferenças e faça um bom negócio

#1 Saiba precificar os seus produtos 

Essa dica é essencial! É muito importante que você consiga cobrar um preço pelo produto com uma boa margem. Assim, saberá que aquele valor estará cobrindo todos os custos e ainda sobrando dinheiro para você.

#2 Otimize e automatize 

Reduzir custos nem sempre é demitir funcionários ou comprar uma matéria-prima mais em conta. Você pode diminuir suas despesas ao otimizar e automatizar os processos de rotina. 

Sem falar que, ao contar com um sistema de gestão que permita esse tipo de tarefa, você melhora a produtividade da equipe e aproveita mais o potencial estratégico e inovador de seus profissionais.

#3 Fortaleça seu comercial 

É imprescindível ter um bom funil de vendas, para definir a jornada do seu cliente e oferecer o produto ou serviço ideal no tempo certo. 

Além disso, é essencial contar um bom CRM para acompanhar os seus clientes e as propostas, fortalecendo o relacionamento e aumentando a fidelização desse mercado.

#4 Tenha uma boa gestão financeira

Parace óbvio, mas nem sempre é. Um bom controle financeiro é fundamental para você aumentar o seu faturamento e o seu lucro. 

Se você não tem uma visão clara das contas a pagar e a receber, como poderá planejar uma promoção ou um investimento? 

Um sistema de gestão financeira é importante, também, para você ter relatórios gerenciais e indicadores de performance, que permitam comparar o desempenho da empresa com outros concorrentes, como o EBITDA, por exemplo.

#5 Entenda sobre elisão fiscal

Falamos um pouco sobre tributação e como isto está relacionado ao conceito de faturamento. Mas entender sobre elisão fiscal pode ajudar a traçar estratégias de redução de custos fiscais. Isso, claro, sem fazer nada ilegal!

Conclusão

O faturamento é um importante indicador para o gestor, mas não deve ser avaliado de forma individual. Isso porque, como vimos, um faturamento alto não significa lucro.

Contar com relatórios para uma boa análise de todos os indicadores, além de projeções de vendas e receitas futuras, é essencial. 

Com o BomControle você conta com diferentes módulos para integração de departamentos, otimizando recursos e automatizando processos de rotina. 

Com um sistema para gestão financeira, você tem na palma da mão os principais relatórios gerenciais e indicadores de performance mais utilizados no mercado. Faça um teste gratuito e conheça tudo que o BomControle pode fazer por sua empresa! 

Para continuar sua leitura, recomendamos estes artigos:

Envie ou compartilhe este artigo