Empréstimos e recursos: tudo que você precisa para enfrentar a crise do coronavírus

Empréstimos e recursos financeiros podem ser uma solução para sua empresa enfrentar a crise causada pelo coronavírus. Mas, também, podem acabar destruindo com o seu planejamento financeiro.

Antes de solicitar um empréstimo, você precisa conhecer muito bem a sua empresa e o seu potencial de pagamento, para evitar entrar em uma bola de neve.

Leia também: Os tipos de crédito disponíveis para o MEI

Ainda que empréstimos e outras fontes de recursos financeiros sejam uma saída em tempos de crise, é preciso avaliar com cuidado as opções e o porquê de sua solicitação.

Neste artigo, você vai entender:

  • O que priorizar na hora de pedir um empréstimo
  • Que tipo de empréstimo ou recurso solicitar
  • Empréstimos e recursos disponíveis pelo Governo
  • Antes de pedir um empréstimo, conheça o seu negócio

Boa leitura!

Integre e automatize os departamentos da sua empresa

Automatize a gestão da sua empresa de forma integrada entre os setores

Conheça agora!

TESTE GRÁTIS

O que priorizar na hora de pedir um empréstimo

Em tempos de crise, o empréstimo pode ser um grande aliado do capital de giro da empresa.

 

Empréstimos e recursos financeiros podem ser grandes aliados para o crescimento da sua empresa. Em um cenário sem crise, o ideal é avaliar o retorno sobre os investimentos, de modo a garantir que eles sejam superiores aos juros pagos por este tipo de transação.

No entanto, estamos, atualmente, em outro contexto. Com a pandemia do coronavírus, muitas empresas estão sofrendo para manter em dia suas obrigações e permanecer com suas atividades em funcionamento.

Por este motivo, solicitar um empréstimo para reforçar o seu capital de giro pode ser uma boa ideia.

Avalie sua capacidade de pagamento: mesmo que no longo prazo saia caro, priorize a captação de recursos de modo que você possa se manter adimplente a curto prazo.

Analise, também, a real necessidade do empréstimo e o valor que você precisa para manter sua operação, considerando reduzir o seu negócio neste momento.

Uma empresa enxuta e eficaz tem mais condições de sair da crise mais forte.

Para captação de recursos financeiros através de investidores, por exemplo, uma boa dica é você começar criando um book da sua empresa.

Este material servirá para apresentar o seu negócio, os seus resultados e demonstrar o potencial de geração de receita e de retorno do investimento. Converse com o seu contador e peça ajuda para elaborar este material.

Um bom book empresarial deve conter:

 

  • História da empresa: conte sobre o seu negócio, como ele nasceu e o porquê. Fale do seu propósito e de suas diretrizes estratégicas;
  • Big numbers: o book não deve ser muito extenso, por isso é uma boa ideia apresentar os principais números da empresa, como ano de fundação, clientes atendidos, receita média mensal, números de funcionários, ativos, crescimento das vendas nos últimos anos e faturamento anual dos últimos anos;
  • Estratégias adotadas na crise: fale sobre as estratégias que você adotou para superar a crise, os impactos negativos enfrentados e o plano de ação para contorná-los;
  • Prioridades e valor necessário: coloque o valor que você espera receber nessa captação e liste as prioridades de uso deste dinheiro;
  • Informações financeiras: abra relatórios importantes para a avaliação da saúde financeira do negócio, como o DRE dos últimos meses e fluxo de caixa;
  • Projeções: faça projeções de vendas, de fluxo de caixa e outros indicadores, considerando o recebimento dos recursos solicitados. Mas, cuidado: lembre-se que você deverá entregar o que está prometendo. Então, mantenha os pés no chão;
  • Garantias: se você tiver como oferecer garantias, mencione-as em seu book. Alguns exemplos de garantias são imóveis, veículos, equipamentos, recebíveis e duplicatas.
Leia também:  Gestão Financeira: como fazer para garantir o sucesso do negócio?

Que tipo de empréstimo ou recurso solicitar

Avalie todos os tipos de linhas de crédito antes de escolher a que melhor atenda a realidade do seu negócio.

 

Existem, no mercado financeiro, diversos tipos de linhas de crédito disponíveis para empresas de todos os portes.

Já falamos sobre algumas direcionadas para as pequenas e médias empresas em outro artigo do blog. Leia aqui: Como conseguir uma linha de crédito para MPMEs em 5 passos.

Vamos esclarecer, abaixo, algumas das linhas mais conhecidas. Confira:

Crédito para capital de giro

Capital de giro é aquela reserva financeira necessária para que a empresa possa cumprir com suas obrigações de pagamentos, independente do volume de vendas obtido.

É como um “fôlego” que garante que a operação permaneça em atividade mesmo em tempos de crise.

Para solicitar um crédito para capital de giro, não é preciso informar o destino do dinheiro. Quase todas as instituições financeiras oferecem este tipo de linha de crédito, com inúmeras opções de pagamento.

Para solicitar, é simples, e o dinheiro, se aprovado, cai na sua conta rapidinho. Em geral, os documentos solicitados para análise são:

  • CNPJ da empresa;
  • RG e CPF dos sócios;
  • Contrato social;
  • Balanço e DRE dos últimos anos.

 

E, é claro, é preciso ser cliente do banco que você deseja solicitar a linha de crédito. Mas, antes de decidir por este tipo de empréstimo, saiba que as taxas costumam ser mais altas, justamente por não exigir garantias e ser um processo relativamente fácil de ser feito.

 

Confira a lista com as taxas de todos os bancos, feita pelo Banco Central do Brasil.

Antecipação de recebíveis

Este recurso permite que você receba de forma antecipada um valor que só entraria no futuro.

Por exemplo, se você efetua vendas parceladas no cartão de crédito, você pode solicitar a antecipação do valor total, mediante a uma taxa.

É possível solicitar a antecipação de diversos tipos de pagamentos, como cheques, duplicatas e até carnês. Mas, cuidado: ao antecipar um recebível você está abrindo mão deste valor no futuro.

Assim, é preciso estar com o seu planejamento financeiro em dia!

A antecipação de recebíveis não é um tipo de empréstimo, já que você só paga ao banco os juros relacionados à transação. O dinheiro cai na sua conta com o desconto e você não precisa pagar mais nada à instituição financeira.

Para solicitar, é possível que o banco solicite um histórico de inadimplência dos seus recebíveis, para análise do risco. Deixe os documentos preparados para isso.

Endosso de título de crédito

Este documento funciona como transferência e garantia de um título de crédito, podendo ser uma duplicata, um cheque, uma letra de câmbio ou notas promissórias.

Crédito consignado

Esta linha de crédito é exclusiva para pessoas físicas. Para poder solicitar, é preciso ser aposentado pelo INSS, ter carteira assinada ou ser funcionário público.

O pagamento das parcelas do empréstimo é feito de forma automática, descontando do salário recebido pela pessoa mensalmente. Por ter maior garantia de pagamento, os juros são menores e existe menos burocracia para solicitação.

Mas, atenção: procure não misturar suas contas de pessoa física com as de pessoa jurídica. Em tempos de crise, é normal que as pessoas busquem alternativas a qualquer custo, mas isso pode acabar gerando problemas em sua casa, além da sua empresa.

Leia também:  8 dicas essenciais para manter o controle financeiro da empresa

Confira as taxas de juros aplicadas pelos bancos e divulgadas pelo Banco Central, para cada um dos casos:

 

Financiamento

O financiamento é utilizado na hora de adquirir um bem, caso você não tenha o valor total para a compra.

Neste caso, a instituição financeira antecipa o valor e você paga mensalmente, de acordo com os juros acordados na contratação.

Cuidado com os atrasos no pagamento: o financiamento pode, rapidamente, virar uma bola de neve caso você não se atente aos juros cobrados nos casos de inadimplência.

Os juros e prazos variam de acordo com valor do bem adquirido.

Geralmente, o financiamento é utilizado para aquisição de equipamentos, veículos e imóveis, mas dependendo do banco selecionado podem ser comprados outros bens, como móveis, e até ser utilizado para capital de giro e pagamento a fornecedores.

Leasing

O leasing não é uma linha de crédito, sendo mais parecido com um aluguel. Neste caso, você paga um valor mensal conforme o período que for utilizar o bem.

Pode ser uma boa opção em período de crise, pois você evita solicitar um crédito alto reduz a uma sobrecarga no seu financeiro.

Existem dois tipos de leasing:

  • Operacional: utilizado quando não se tem a intenção de comprar o bem ao final do contrato;
  • Financeiro: a duração mínima, neste caso, é maior, e ao final do contrato você tem a opção de devolver o bem, renovar o leasing ou efetuar a compra.

Integre e automatize os departamentos da sua empresa

Automatize a gestão da sua empresa de forma integrada entre os setores

Conheça agora!

TESTE GRÁTIS

Empréstimos e recursos disponíveis pelo Governo

Mediante à crise gerada pelo coronavírus, o Governo adotou algumas medidas de apoio aos empresários, buscando alternativas que desafoguem suas obrigações e garantam maior sustentabilidade às operações.

Algumas das medidas adotadas foram:

Desenvolve SP (apenas para o Estado de São Paulo)

Serão R$ 200 milhões disponibilizados para auxiliar micro, pequenas e médias empresas. A solicitação do crédito para capital de giro pode ser realizada diretamente pelo site da Desenvolve SP.

Parcelamento do FGTS

O governo aceitou o adiamento do pagamento do FGTS de seus funcionários nos meses de Abril, Maio e Junho de 2020. O valor deverá ser pago posteriormente, iniciando em Julho de 2020, podendo ser parcelado em até 6x.

Prorrogação do DAS

O Governo também prorrogou o recolhimento do DAS, para as empresas optantes pelo Simples Nacional. Os títulos com vencimentos em Abril, Maio e Junho ficarão automaticamente prorrogados para Outubro, Novembro e Dezembro.

Prorrogação do PIS, COFINS e Contribuição Patronal Previdenciária

O recolhimento de Março e Abril foram adiados para Julho e Setembro de 2020, respectivamente.

MP 944 – Programa Emergencial de Suporte a Empresas

A medida provisória auxilia empresas com receita anual bruta entre R$ 360 mil e R$ 10 milhões, de acordo com o declarado no Imposto de Renda de 2019.

Estas empresas podem financiar a folha de pagamento dos seus funcionários por 2 meses, no limite de até 2 salários mínimo por funcionário.

Para solicitar, basta que o salário seja pago através de algum banco cadastrado no Banco Central. Você deve:

  • Informar o quadro real de funcionários da empresa;
  • Informar o faturamento;
  • Utilizar o valor somente para pagamento da folha salarial;
  • Não demitir o funcionário, sem justa causa, durante os 2 meses de benefício e 60 dias após.
Leia também:  Compreenda a importância da Integração de processos financeiros empresariais

Antes de pedir um empréstimo, conheça o seu negócio

Conheça as principais contas patrimoniais do seu negócio para uma decisão eficaz.

 

A solicitação de um empréstimo ou recurso financeiro para sua empresa pode ser uma boa saída para enfrentar a crise, mas é preciso muito autoconhecimento.

Conheça as principais contas patrimoniais do seu negócio e tome sua decisão com base em informações precisas, para garantir que seja assertiva. O desespero nunca foi o melhor critério para escolhas.

Confira algumas dicas para aumentar o seu capital de giro antes de optar por um empréstimo:

 

  • Negocie com seus clientes pagamentos à vista, ao invés de buscar soluções de antecipação de recebíveis;
  • Priorize em seu estoque os produtos com mais giro, e faça promoções daqueles que estão parados há muito tempo;
  • Negocie prazos com seus fornecedores, mas não deixe de pagá-los. Elimine os fornecedores menos relevantes para sua operação;
  • Converse com o seu contador sobre as possibilidades de parcelar os pagamentos de impostos. Se você é do Simples Nacional, aproveite o benefício oferecido para prorrogação da DAS;
  • Antecipe férias ou banco de horas, mas não deixe de pagar os salários dos seus funcionários. O Governo Federal também flexibilizou as leis trabalhistas e vem adotando medidas provisórias para apoio aos empresários em relação à folha salarial;
  • Suspensa os investimentos a longo prazo. Foque nos que garantem retorno a curto prazo, se for o caso.

Conclusão

Conte com um ERP para uma gestão integrada e tenha informações para decisões mais assertivas.

 

A pandemia do coronavírus tem causado uma crise econômica em todo o mundo. Empresas de todos os portes e segmentos estão sofrendo com esta realidade.

Integre e automatize os departamentos da sua empresa

Automatize a gestão da sua empresa de forma integrada entre os setores

Conheça agora!

TESTE GRÁTIS

Manter uma gestão eficaz e um controle financeiro é fundamental para ultrapassar este período turbulento e sobreviver.

Se você tiver um bom planejamento orçamentário, condições de desinchar sua estrutura e se programar para manter os pagamentos em dia, as soluções de empréstimos e recursos financeiros podem ajudar a dar um fôlego.

Mas, lembre-se: qualquer decisão deve ser tomada com base em informações válidas e reais do seu contexto. Uma empresa sem qualquer controle, seja de vendas, de estoque, de processos ou financeiro, não tem condições de superar uma crise sem grandes perdas.

Conte com um ERP completo para apoiar sua gestão e oferecer relatórios em tempo real, auxiliando para uma tomada de decisão consciente e eficaz. Conheça o BomControle e experimente grátis por 15 dias!

Gostou deste conteúdo? Achamos que você também pode gostar destes outros que separamos:

 

Obrigado por ler até aqui!

Envie ou compartilhe este artigo