Custo das mercadorias vendidas – Como calcular

Infelizmente, o lucro não é calculado apenas por um número alto de vendas e o CMV é um dos indicadores que apresentam os verdadeiros ganhos de uma empresa.

Um plano financeiro completo é composto por diversas categorias e técnicas de análise que apresentam dados reais sobre a saúde das finanças de um empreendimento.

Para entender melhor como funciona o seu sistema de vendas e descobrir quanto lucro você está verdadeiramente gerando, continue a ler este post e conheça o conceito do CMV!

Sistema de Controle de Estoque

Controle o estoque da sua empresa de forma integrada entre departamentos

Conheça!

TESTE GRÁTIS

O que é CMV – Custo das mercadorias vendidas

A sigla CMV corresponde à Custo da Mercadoria Vendida e consiste no cálculo que indica o valor gasto em uma mercadoria, incluindo o estoque.

Com o indicador, é possível descobrir quanto é investido em um produto para analisar o verdadeiro retorno que ele traz à empresa e se este ganho está cobrindo o valor gasto.

A ferramenta é essencial para descobrir o lucro bruto da venda, já outros descontos não são considerados pelo cálculo e serão feitos posteriormente. Sendo assim, o CMV é essencial para uma gestão financeira completa e detalhada.

O que é lucro bruto?

O lucro, retorno de recurso por venda ou prestação de serviço, é classificado em dois tipos: o bruto e o líquido.

Primeiramente, o lucro líquido representa a subtração de todos os gastos, envolvendo impostos e taxas, sobre o valor do retorno.

Por outro lado, o lucro bruto é responsável por subtrair do valor dos ganhos apenas o que foi gasto para a produção da mercadoria, que pode variar de acordo com a quantidade manufaturada.

O CMV calcula apenas o lucro bruto, já que não considera outros gastos da empresa além dos que foram investidos no processo de produção.

O CMV é um ativo ou passivo?

A verdade é que o CMV é um cálculo que aponta resultados, sem necessariamente mensurar a quantidade de produto ou matéria-prima. Além disso, o indicador não costuma aparecer no balanço patrimonial.

Por outro lado, o estoque costuma ser considerado no relatório e é classificado como ativo.

Partindo do conceito que os ativos indicam os rendimentos e ganhos da empresa, é possível entender o CMV como um cálculo de ativos, já que ele apresenta o lucro bruto das vendas.

Por que calcular o CMV

Pelo simples fato de apontar quanto foi investido na produção da mercadoria e quanto foi retornado à empresa, o CMV já se apresenta como uma ferramenta essencial para a gestão financeira de um empreendimento.

Entretanto, o cálculo pode oferecer benefícios maiores não apenas para a organização de recursos, mas também para planejamentos futuros e economia financeira!

Economize recursos

Ao descobrir quanto está sendo gasto para disponibilizar um produto, fica mais fácil apontar os processos que podem ser alterados ou até mesmo eliminados para reduzir o custo de produção, se necessário.

Por outro lado, você também pode descobrir que está cobrando um valor muito baixo em relação ao que investe para produzir sua mercadoria, e pode reajustar o preço para garantir um retorno justo.

Conhecer o seu produto e os valores investidos nele é um passo essencial para conseguir mais lucro e economizar recursos.

Organização de documentos e finanças

Para calcular o CMV, é preciso ter registros de vendas e estoque em ordem, assim como a informação pode acrescentar importantes dados aos relatórios financeiros.

O segredo para acompanhar os processos da empresa, é manter-se organizado e registrar informações importantes sempre que possível.

É importante ter em mente que todos os setores da companhia estão conectados, sendo assim, a informação que é valiosa para uma equipe, também pode ajudar outra! O CMV, por exemplo, pode trazer dados relevantes ao controle de estoque e à equipe financeira.

Sistema de Controle de Estoque

Controle o estoque da sua empresa de forma integrada entre departamentos

Conheça!

TESTE GRÁTIS

Planejamento de investimentos

Como mencionamos anteriormente, quando o empresário conhece os gastos que são investidos na produção da mercadoria, ele passa a entender pontos que podem ser alterados para gerar mais retorno.

Com mais lucro, a empresa possui mais recursos para fazer investimentos e crescer, expandir e inovar a marca.

Por mais simples que o CMV seja, ele pode trazer informações importantes para o empreendimento e ajudar todos setores a aprimorarem seus sistemas de atividade e organização.

Como calcular CMV

CMV - Como calcular
Para calcular o CMV, é preciso consultar o controle de estoque.

A fórmula simples do CMV compara o estoque inicial ao final, registrando os gastos investidos na produção da mercadoria e nos ganhos gerados pelas vendas.

No caso de devoluções, tanto do cliente quanto da empresa, a transação também deve ser registrada no cálculo.

Sendo assim, a fórmula principal ficaria desta forma:

CMV = Estoque Inicial + Compras – Estoque Final

Leia também:  5 passos básicos antes de abrir o seu negócio

Caso houver uma devolução, são adicionados mais dois itens à conta: a devolução da compra pelo cliente e a devolução da venda da empresa para o fornecedor. Neste caso, o cálculo seria assim:

CMV = Estoque Inicial + Compras + Devolução de Compra – Devolução de Venda – Estoque Final

Itens que não entram na conta

Para calcular o lucro bruto da forma correta, é preciso desconsiderar alguns valores do cálculo CMV:

  • Processos operacionais, como entrega do produto;
  • Gastos relacionados às vendas, como comissões dos funcionários;
  • Contas sobre o funcionamento da empresa, como conta de água ou luz;
  • Taxas e impostos sobre a receita total.

Ao desconsiderar esses elementos, é mais fácil chegar ao resultado mais claro do lucro bruto das suas vendas.

Como calcular CMV no inventário periódico

De acordo com o inventário em que é calculado o CMV, a forma de se desenvolver o cálculo e os resultados podem ser diferentes.

No inventário periódico, o CMV e as atualizações do relatório são feitas em determinados períodos. Sendo assim, usam o número inicial como base para calcular as vendas que foram feitas em um certo prazo.

Por mercadoria

O cálculo por mercadoria considera a quantidade de produtos que foi vendida, ao invés de calcular preços.

Sendo assim, a fórmula é perfeita para auxiliar o controle de estoque e também a equipe de operações que cuida do transporte dos produtos, por exemplo.

Supondo que sua empresa possui 150 produtos no estoque inicial, faz uma compra de abastecimento de 400 itens e fecha o período com 70 mercadorias. O cálculo ficaria assim:

Estoque Inicial + Compras – Estoque Final = CMV

150 + 400 – 70 = 480 é a quantidade de produto que foi vendido no período.

Desta forma, é possível identificar quantos itens foram vendidos dentro do prazo determinado pela empresa para atualizar e registrar dados no estoque.

Por saldo monetário

Neste caso, a fórmula continua a mesma, o que muda são os valores aplicados. Enquanto o cálculo por mercadoria considera as quantidades, o CMV por saldo monetário leva os preços em consideração.

Vamos imaginar que o nosso produto custa R$5,00 e, utilizando os números de venda do exemplo anterior, vamos calcular o CMV!

Estoque Inicial + Compras – Estoque Final = CMV

750 + 2000 – 350 = 2400

Sendo assim, você descobre qual foi o lucro bruto obtido sobre as compras e vendas de um determinado período.

Como calcular CMV no inventário permanente

Enquanto o inventário periódico é atualizado apenas em determinados prazos, o permanente é atualizado sempre que há uma nova atualização.

Além disso, outros itens são inseridos ao cálculo para detalhar o relatório, como as devoluções de mercadoria e vendas, por exemplo.

Desta forma, o resultado cobre um período de tempo maior e dá uma visão geral sobre o histórico da empresa e o lucro bruto atual.

Por mercadoria

A fórmula para o CMV no inventário permanente muda um pouco em comparação ao inventário periódico, por conta da consideração das devoluções.

CMV = Estoque Inicial + Compras + Devolução de Vendas – Devolução de Compras – Estoque Final

A Devolução de Vendas representa os itens devolvidos pelos clientes, enquanto a Devolução de Compras está relacionada à devolução feita pela empresa para o fornecedor.

Considerando que seu estoque inicial possuía 400 itens, uma compra com 600 produtos foi feita, foram recebidas 10 devoluções de clientes e foi necessário retornar 5 itens ao fornecedor. O estoque final é de 130 itens, então o cálculo ficaria assim:

400 + 600 + 10 – 5 – 130 = 875

Por saldo monetário

Enquanto o cálculo por mercadoria estuda as quantias movimentadas no estoque, o saldo monetário aponta os valores envolvidos no processo.

A fórmula segue a mesma que foi utilizada no item anterior. Aliás, vamos manter os mesmos números e aplicar o valor do nosso produto de R$5,00 para chegar ao CMV por saldo monetário:

2000 + 3000 + 50 – 25 – 650 = 4375

Sendo assim, é possível apontar o lucro bruto reunido desde o início da organização das vendas com a técnica CMV.

Importância do controle de estoque

CMV - Importância do controle de estoque
O cálculo do CMV só é possível com os dados do controle de estoque.

Para que o CMV entregue os resultados esperados, tanto por saldo monetário ou quantidade de mercadoria, é preciso possuir um bom controle de estoque para fornecer informações precisas para o cálculo.

Sendo assim, antes de pensar em calcular o custo de mercadoria vendida, é preciso aprimorar o controle de estoque e garantir que o seu relatório entrega os dados que você precisa para conhecer mais sobre seu produto.

Além disso, o controle de estoque é essencial para outros processos da empresa, assim como oferece dados que são relevantes para diferentes setores da marca. Conheça 4 das inúmeras funções do controle de estoque!

Programe as compras de reposição

O acompanhamento das entradas e saídas do estoque oferece uma visão melhor sobre a necessidade de repor ou não o estoque.

Conforme a análise dos relatórios anteriores, é possível que o empresário perceba que precisa aumentar ou reduzir as compras de reposição para evitar desperdícios e economizar recursos.

Além disso, é essencial prestar atenção ao nível de estoque e informar os números à equipe de venda, especialmente para evitar compras dos clientes que não podem ser atendidas.

Cuide da organização do espaço físico

A capacidade de armazenamento do estoque é um dado essencial para manter o espaço físico organizado e apropriado para reservar as mercadorias da empresa.

Por meio do controle de estoque, é possível analisar se o espaço físico está com produtos em excesso, o que pode afetar a forma de armazenamento, especialmente em caso de itens perecíveis.

Além disso, a organização do espaço físico do estoque faz com que o processo de encontrar os produtos no armazém seja mais rápida e objetiva, otimizando o tempo da equipe.

Registre todos os processos

É importante registrar todas as transações que ocorrem no estoque, as entradas e saídas de mercadoria, gastos em reposição de estoque e vendas de itens.

Quanto mais informação você possui sobre os processos, mais completo será o seu relatório e, consequentemente, mais preciso será o seu futuro cálculo CMV.

Mesmo que nem todos os dados sejam inseridos no relatório, é importante acompanhar todos os processos para entender o funcionamento da empresa e o caminho do produto, desde a produção até a entrega ao cliente.

Consulte os registros periodicamente

Registrar não é o suficiente, é fundamental analisar os resultados e buscar entender os passos que levaram a empresa até esses números.

Todo relatório perde o seu sentido caso não seja analisado, eles estão ali para oferecer dados que funcionarão como base de uma análise, estudo ou planejamento maior.

Sendo assim, é interessante que o empresário analise as mudanças de resultados periodicamente, especialmente para reparar nas transformações e indicar quais pontos ocasionaram essas mudanças, com o intuito de fazer melhorias e inovações.

Controle permanente de estoque

Como mencionamos anteriormente, o estoque permanente é atualizado em tempo real, para oferecer a versão mais atual dos resultados e também da situação dos produtos na empresa.

Entretanto, o conceito se divide em duas categorias que alteram a forma de registrar e calcular as transações no estoque.

– PEPS

A sigla PEPS representa o termo “Primeiro a Entrar, Primeiro a Sair”, o método considera que os produtos que chegam primeiro ao estoque devem ser também os primeiros a sair.

Sendo assim, os produtos que chegam primeiro são aqueles que definem o valor do estoque, e a técnica determina uma ordem clara para a distribuição dos produtos. Desta forma, nada será danificado ou ultrapassará a data de validade, caso for perecível.

– UEPS

Por outro lado, UEPS é a abreviação para “Último a Entrar, Primeiro a Sair”, neste caso, o valor do estoque é calculado sobre os preços dos últimos itens a chegarem no estoque.

Ao contrário do PEPS, o UEPS considera sempre o último preço, mesmo que ele seja mais alto do que o dos itens anteriores.

Entretanto, a técnica não é recomendada para o armazenamento e venda de produtos perecíveis, já que estes possuem data de validade e não podem ficar estocados por muito tempo.

O ajuste dos preços simplifica um pouco a organização dos produtos, mas pode ser considerado como supervalorização do produto e trazer problemas à empresa. A técnica não é muito utilizada no Brasil, mas países como Estados Unidos e México são adeptos ao UEPS.

Como usar o CMV na contabilidade da empresa

CMV - Como usar o cálculo CMV
O CMV indica o lucro bruto das vendas nos relatórios financeiros.

Como mencionamos anteriormente, o CMV não faz parte do balanço patrimonial, mas é um item que pode fazer parte do DRE (Demonstração de Resultados do Período), exatamente pela sua função de apresentar resultados sobre o lucro bruto dos itens vendidos.

Entretanto, é importante lembrar que o CMV não considera os itens que não foram vendidos e também outros descontos no cálculo, tais valores são aplicados no DRE para gerar o lucro líquido da empresa.

Por mais que seja utilizado com mais frequência no setor contábil, o CMV é um cálculo de que depende de dados da equipe de vendas e de controle de estoque, desta forma, é interessante que sua empresa conte com um sistema de gestão integrada para reunir dados.

O BomControle desenvolveu uma ferramenta completa que pode te ajudar a gerenciar as tarefas do setor financeiro, estoque e CRM em um único lugar. Faça o teste grátis e descubra como o sistema de gestão pode transformar a rotina da sua empresa.

Exemplos de empresas que devem calcular o CMV

O CMV costuma ser utilizada em empresas de comércio, que recebem produtos no estoque e logo depois precisam vendê-los para gerar lucro.

Desta forma, o cálculo funciona como um indicador do lucro bruto e também da movimentação de produtos no armazém.

Para o setor industrial, existe o CPV (Custo do Produto Vendido) que pode ser aplicado para gerar um resultado similar ao que o CMV representa no comércio.

Qual é a diferença entre CPV e CMV?

O CPV calcula o valor dos produtos vendidos, enquanto o CMV considera as mercadorias vendidas. Por incrível que pareça, ambos termos são muito similares, mas representam processos completamente distintos.

O produto mencionado pelo CPV é calculado por meio da consideração de todos processos e gastos envolvidos na produção, além do valor presente no estoque.

Por outro lado, o CMV considera apenas o valor do produto, já que ele não costuma ser produzido pela empresa, é comprado de um fornecedor.

Como calcular CPV

Para calcular o CPV, é preciso reunir os valores que foram investidos na produção dos itens vendidos. Sendo assim, são inseridos na fórmula as categorias:

  • Estoque Inicial;
  • Estoque Final;
  • Mão de obra;
  • Gastos de fabricação;
  • Insumos (matéria-prima, embalagem e outros materiais usados na fabricação);

Desta forma, a fórmula básica do CPV ficaria assim:

CPV = Estoque Inicial + (Insumos + Mão de obra + Gastos de fabricação) – Estoque Final

Conclusão

CMV - Como calcular - Conclusão
O CMV apresenta o verdadeiro valor de uma mercadoria para a empresa.

Por fim, o CMV pode ser considerado um indicador simples para descobrir o lucro bruto sobre os produtos vendidos pela sua companhia.

O cálculo é relativamente simples e pode revelar muito sobre os verdadeiros ganhos da sua empresa, além de apontar etapas do processo que podem ser otimizadas para gerar mais lucro.

Lembrando que o CMV só é possível caso o empreendimento possua uma boa gestão de estoque. Para isso, utilize o sistema integrado ERP BomControle, Faça um teste grátis

Envie ou compartilhe este artigo
Complemente sua leitura